Participação feminina cresce na pesquisa científica, diz CNPq

11/05/07

   

 

A participação feminina na pesquisa nacional vem aumentando, segundo levantamento do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), que concede bolsas a pesquisadores brasileiros. Entre os bolsistas de doutorado, as mulheres aumentaram a sua participação em 37% nos últimos cinco anos (2001 a 2006), praticamente igualando-se ao número de homens.


Hoje, são 3.694 bolsistas mulheres e 3.697 do sexo masculino.

Na categoria de iniciação científica, as mulheres passaram a ser a maioria dos bolsitas (56%). Em 2006, foram concedidas 9.291 bolsas desse tipo para as mulheres -- crescimento de 17% nos últimos cinco anos.

No entanto, no número geral de bolsas, a participação feminina ainda é inferior à masculina: vem se mantendo em torno de 48% (26.436 mulheres).

Áreas

A presença das mulheres nas áreas tradicionalmente masculinas também cresce. De 2001 a 2006, nas ciências agrárias, a participação de mulheres bolsistas aumentou 4% (hoje, elas representam 46% das bolsas). De 2.831 bolsistas em 2001, passou para 3.424 em 2006.

Nas engenharias, o aumento foi de 2% (de 28% em 2001 para 30% em 2006). Em engenharia aeroespacial, o crescimento de bolsas concedidas a mulheres foi de 12%. Em engenharia biomédica, 9%. E, em engenharia mecânica, 4%.

  

  

 

Entre em contato