Escolas públicas emplacam primeiros lugares no vestibular

05/02/06

 

Todos os anos o dia do resultado do vestibular é de emoção e expectativa. Este ano não foi diferente, mas uma grande novidade foi a procedência do primeiro colocado geral. Marcos Vinicius Melo Amaral é aluno do Cefet e prestarou vestibular no esquema de Processo Seletivo Seriado, o que também é uma surpresa, pois segundo Manoel Leite os primeiros colocados anteriores concorriam sempre no PSS Geral.

Os professores do Cefet que estavam no auditório da reitoria esperando o resultado, divulgado pontualmente às 15h pelo reitor Josué Modesto, não escondiam a felicidade. “Falei com o Demetrius hoje e ele disse que já estava de cabeça raspada e

só ficaria satisfeito se fosse o 1° lugar”, declarou o professor de matemática Anselmo Vasconcelos. O estudante está atualmente no Canadá fazendo um curso de intercâmbio, custeado por um programa de bolsas de estudo que ganhou recentemente.

Para muitos professores de cursos e colégios particulares a surpresa foi grande por não ter emplacado os primeiros lugares. Mas, para o coordenador da CCV, Manoel Leite, essa é uma boa estatística, e revela que “é só ter vontade que teremos uma escola pública de qualidade”.

Além do Cefet, outra instituição pública que se destacou neste

vestibular, repetindo feitos de anos anteriores, foi o Colégio de Aplicação. Mesmo sem ter nenhum nome entre os dez primeiros colocados na classificação geral, várias primeiras colocações de cursos foram para

os alunos do Codap, entre eles Matemática Licenciatura Noturno, Geologia, Engenharia Agronômica e Química licenciatura.

Para a primeira colocada em Matemática Licenciatura, Carla Priscila Santos, “passar em primeiro lugar não é tão importante, o importante é que é na UFS. As horas de estudo valeram a pena, mas não esperava ficar nessa colocação”. Sua amiga Cecília Santos Silva, que levou o 1° lugar em Química Licenciatura, confessa: “a emoção é muito grande, não tenho nem palavras”.

O também aluno do Codap, Vitor A. S. Viana, ficou em quarto lugar em Física bacharelado. “Cada colega meu que passou vai fazer uma festa diferente”, e não foram poucos os colegas de Vítor que passaram na UFS, segundo um levantamento preliminar a diretora da escola Marlucy Gama, a aprovação foi de mais de 60%.


Vítor só lamenta o fato de que o mérito muitas vezes não vai para sua escola. Ele conta que um colega passou em medicina na UFBA e o nome dele saiu estampado numa faixa com o nome do cursinho pré-vestibular no qual estava matriculado. “O colégio é bom, mas infelizmente poucos sabem dessa qualidade”.

Marlucy vê essas práticas de divulgação como “oportunista”. “Não têm outra palavra para descrever o que essas pessoas fazem. Eles tratam a educação como moeda. O objetivo é fabricar um produto lucrativo e atraente para o mercado”.

  

  

 

Entre em contato